Como controlar o Faturamento Hospitalar com eficiência?

Diante de um mercado dinâmico e competitivo, as instituições além de inovarem continuamente, precisam controlar as contas de maneira adequada. No caso dos estabelecimentos da área da saúde não seria diferente. Então, manter um faturamento hospitalar eficiente é indispensável, a fim de obter resultados positivos.

O faturamento é o setor responsável pela administração das contas hospitalares dos pacientes. Então, emite boletos, notas fiscais, entre outros documentos. Além disso, faz a análise das cobranças dos clientes, de acordo com os prontuários.

Quais os setores envolvidos com o Faturamento Hospitalar?

Há diversos departamentos do estabelecimento de saúde que trocam informações com o setor de faturamento. Veja os mais comuns: farmácia, Serviço Auxiliar Diagnóstico e Terapia (SADT), pronto atendimento e pronto-socorro, ambulatório, Serviço de Nutrição e Dietética (SND), contabilidade, convênios, etc.

Quais as metas do setor de Faturamento?

A seguir, confira algumas das responsabilidades do departamento:

  • Enviar as guias aos convênios, conforme o padrão TISS;
  • Lançar relatórios para o controle das faturas emitidas e pendentes;
  • Avaliar as apresentações de faturas recebidas;
  • Observar as glosas e suas causas, assim como, corrigir esses documentos;
  • Administrar os comprovantes dos serviços prestados, a fim de evitar problemas com auditorias.

Faturamento Hospitalar eficiente

Você deve imaginar que esse setor lida diariamente com valores altíssimos, não é? Portanto, sistemas e recursos financeiros que possam auxiliar o time são muito bem-vindos. Logicamente, a tecnologia por si só não resolve os problemas, mas unindo os recursos tecnológicos a uma equipe qualificada e treinada, o que se vê é uma gestão assertiva, bem como, bons resultados.

A Transformação Digital é uma tendência e chegou para ficar. Ou seja, os clientes e pacientes mostram-se cada dia mais digitais. Dessa forma, as instituições precisam adaptar seus serviços e produtos ao mundo digital, com o intuito de atender com mais agilidade e eficiência essas pessoas, os parceiros e fornecedores. Enfim, a cadeia de usuários como um todo.

Além dos recursos digitais, o setor de Faturamento Hospitalar também precisa ter um planejamento estratégico bem definido. É essa estratégia que direcionará os passos da equipe, servirá como estrutura para os processos e ajudará a garantir a eficiência operacional.

Lembrando que, logo após definir o planejamento, é importante alinhá-lo com todos os envolvidos. Por exemplo, algumas diretrizes de convênios já estão em vigor no agendamento dos procedimentos e atendimento ao paciente na recepção do hospital. Dessa maneira, o software da instituição hospitalar aponta quais pontos devem ser preenchidos, para que futuramente o convênio consiga faturar as contas, sem gerar nenhuma glosa. Mas, só nesse caso, perceba que o planejamento e o sistema tecnológico precisam estar alinhados com os setores para que tudo flua em harmônia.

Evitando as glosas

Mulher trabalhando em frente ao computador. Imagem simboliza que está feliz fazendo o faturamento hospitalar sem glosas.

As glosas são problemas comuns enfrentados pelo Faturamento Hospitalar. Por isso, é fundamental alinhar todo o processo planejado com as equipes de atendimento, com os responsáveis pelo preenchimento das guias e com a equipe de TI, responsável pelo sistema. Assim, posteriormente fica mais fácil evitar os erros e as glosas. Inclusive, previne-se que haja algum procedimento que tenha que ser cobrado de modo particular do paciente, caso o convênio não aprove o pagamento.

E aí, ficou com alguma dúvida sobre o Faturamento Hospitalar? Envie-nos uma mensagem no fórum. Vamos trocar algumas ideias por lá.